Notícias

Empresário Marino Franz afirma que se tem que preparar o município, sempre em cima do cenário futuro

GERAL | 17/08/2020 10h 15min

O empresário e ex-prefeito de Lucas do Rio Verde, Marino Franz esteve na manhã deste sábado (15) na Rádio Regional FM, concedendo entrevista e falando sobre macroeconomia de Mato Grosso, mercado internacional de grãos e combustível e os potenciais futuros do Estado de também da cidade luverdense.

O empresário começou falando sobre a visão de investimento que o Mato Grosso pode fazer e o quanto a industrialização renderá maiores investimentos e retorno para o Estado.

“Fizemos uma apresentação ao Governo de MT, e até o ano passado o Estado não fazia a cobrança do Fethab (Fundo de Habitação e Transporte) no milho e algodão, era apenas na soja, nesse ano só para se ter uma ideia serão industrializados cerca de 5 milhões de toneladas de milho, fizemos uma conta que se caso transformarmos 10 milhões de toneladas de milho e se pegarmos esses mesmos 10 milhões e exportarmos com o Fethab o Governo arrecada R$ 100 milhões já de ICMS na indústria a arrecadação seria R$ 1,2 bilhão, ou seja, com mais indústria teremos mais emprego, e as empresas que aqui já se instalaram estão transformando o Mato Grosso em uma velocidade muito rápida”, contou ele.

Outro ponto que Marino destacou de forma muito sensata, foi a potência de Mato Grosso que mesmo em meio a uma pandemia garantiu crescimento econômico. “Mesmo em pandemia o Mato Grosso cresceu 15,2%, e eu sempre falo que Mato Grosso é um gigante que ainda está adormecido, pois ainda tem potencial para muito crescimento e temos condições impares para que isso aconteça. Temos uma região estratégica que vai ajudar a alimentar o mundo, pois após a pandemia o que o Mundo vai comprar, será voltado a segurança alimentar, produtos relacionados a saúde e a sustentabilidade. E isso é extremamente importante estar na pauta de qualquer gestor para que faça a diferença e possamos garantir esse crescimento. Então é importante que a base econômica esteja muito forte, tanto que durante essa pandemia nossa base econômica quase não sentiu nada”.

Sobre o que é necessário para garantir a macroeconomia em ascensão, o empresário destaca o planejamento e o pensamento futuro das cidades trabalhando internamente. “Temos que trabalhar e preparar o município onde se vive, sempre em cima do cenário futuro, é necessário ver onde está caminhando o Mundo, quais os atores do futuro para que esteja se pronto internamente. Lucas sempre teve essa leitura do mercado, de forma perfeita, e foi assim que fizemos a suinocultura, a avicultura, depois o processamento da soja, biodiesel, etanol de milho e quando se tem a movimentação econômica, há as questões da saúde, educação e as oportunidades de emprego e geração de renda”.

Sobre o mercado de grãos e combustível Marino falou sobre o quanto Mato Grosso e até mesmo Brasil, ainda pode alavancar a exportação. “A China hoje consome 55 milhões de tonelada de carne suína e o Brasil produz 4 milhões, outro ponto é que pra cada 100 sacas de soja que o Brasil exporta, 80 vai para a China, ou seja temos potencial para melhorar e ampliar esse mercado. Temos agora as indústrias de etanol de milho que estão se preparando para exportar para os mercados mais exigentes do Mundo, como a Califórnia-EUA e Europa, que não aceitam combustível com poluentes. Para se ter ideia, no ano passado, índices do RenovaBio o etanol mais sustentável do mundo foi o etanol de milho produzido do Estado de Mato Grosso, com nota máxima, temos muito ainda para melhorar, basta fazer o dever de casa”.

O futuro do Mato Grosso ele é muito promissor, mas tem que ser explorado e desenvolvido com muita inteligência fazendo a leitura da questão ambiental, da sustentabilidade e na questão das oportunidades com pesquisa viável, para que haja a transformação das pessoas que aqui vivem.

Quanto a logística das rodovias e principalmente a ferrovia, o empresário é enfático em dizer que essa é uma luta desde 2010 e que o próprio Governo Federal não deu prazo. “A conclusão da BR-163 na região do Pará, foi algo extremamente importante para nossa logística, o fluxo aumentou em mais de 80%. Quanto a idealização das ferrovias que são a FerroNorte, Fico, Ferrogão e a Rumo que está vindo até Nova Mutum com verba privada, teremos um enorme entroncamento ferroviário que interligará as regiões Sul, Norte e Nordeste, porém assim como os próprios Ministros da Agricultura e da Infraestrutura já deixaram claro, esse projeto é para 2028 a 2030. É um projeto que demanda muitas as licenças ambientais, principalmente porque estamos falando de regiões da bacia amazônica e isso é muito burocrático. Além disso com a vinda da ferrovia temos a expansão de órgãos governamentais, já estaremos tratando de exportação, é necessário muito planejamento para dê certo”.

Questionado por um ouvinte, qual a visão do empresário para Lucas do Rio Verde para os próximos anos, Marino volta a destacar o planejamento macro. “Na minha visão após essa pandemia, é muitas famílias sairão dos grandes centros e virão para cidades do interior, cidades que são planejadas, que tenham qualidade de vida, áreas verdes, ou seja cidades pensadas, e isso fará a diferença, pois não necessariamente precisamos ser uma cidade grande, mas temos que ser uma cidade que ofereça qualidade de vida. O gestor público ele dá o norte, mas o planejamento em si é feito por técnicos de várias áreas que vão imaginar e desenhar a região pra daqui a 10, 15 ou 20 anos, dentro de um contexto macroeconômico e esse planejamento precisa ser feito anualmente, porque as coisas mudam todo tempo. Quando fizemos o Plano Diretor do nosso município foi um marco muito grande e tivemos outras cidades que vieram copiar nosso plano. Fizemos a ocupação de forma planejada, separando a região residencial da industrial, e esse planejamento evita que hoje os gestores tenham problemas com a organização”.

O empresário continuou dizendo que para Lucas se destacar e não ficar para atrás das cidades da região, “Lucas precisará de espaços de alta tecnologias, explorar o sistema de educação, tornar a cidade ponto de referência na saúde. Em 2012 nós tínhamos o 8º IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) do Brasil. E se nossa cidade efetivamente conseguir se tornar o terminal ferroviário nós vamos conseguir reverter e atrair novos investidores.

O gestor público precisa sempre se preparar internamente e preparar a macroeconomia, pois o trabalho que foi feito para tornar o que Lucas é hoje, foi um trabalho de gigante e isso permitiu que a cidade tivesse uma receita de quase R$ 400 milhões/ano”.

Fonte:   Hora1MT com Rádio Regional FM | Foto: H1MT

Balcão de Emprego

Veja +

Contrata-se Vendedora Interessados entregar currículo na loja; Rua santa fé 168-S Centro

Anunciante: LOJA AMALI

Contato: 65 9232 2595 / silvanalemes05@gmail.com

Atualizado dia 15/04/2021

VAGA DE EMPREGO: Eletricista com experiência em parte elétrica de caminhão, interessados ligar no fone 3549-4046 | 65 99988-0268 ou entregar currículo em mãoBR 163 1141, N, AREA INDUSTRIAL, LUCAS DO RIO VERDE

Anunciante: AUTO ELÉTRICA PINHEIRINHO

Contato: 3549-4046 | 99988-0268 /

Atualizado dia 23/03/2021

 VAGA DE EMPREGO: VAGA DE TI. INTERESSADOS ENVIAR CURRICULUM NO WATS 65 99949-1318

Anunciante: AGROTRONIC

Contato: 6535495618 / financeiro@agrotronic.com.br

Atualizado dia 23/03/2021

Precisa-se de instalador de cortinas e persianas com experiência. Interessados entrar em contato pelo telefone.

Anunciante: Fabiola

Contato: 65 99316 6674 / 65 99606 9974 /

Atualizado dia 23/02/2021

Vagas para homens: - Serviços gerais - Operador de roçadeira costal e motoserra. Serviço na cidade e fazenda. Interessados entrar em contato pelo whatsapp 65 99985-8700

Anunciante: FERNANDA

Contato: 65999858700 /

Atualizado dia 23/02/2021